segunda-feira, janeiro 17, 2022
Mais

    Cada real investido em educação tem dez vezes mais retorno, afirma economista

    Ricardo Paes de Barros, do Instituto Ayrton Senna, destaca estudos internacionais que comprovam que investir em educação é um bom negócio para todos

    Ajudar crianças e adolescentes a desenvolver competências estratégicas é um desafio para pais, escolas e indústria. Mas cada real investido na educação dos estudantes tem retorno dez vezes maior, segundo estudos internacionais. Os dados foram apresentados pelo economista-chefe do Instituto Ayrton Senna, Ricardo Paes de Barros, em encontro realizado pela FIESC em Jaraguá do Sul no sábado (26), dentro da programação do Universo #VemFazer SESI SENAI.

    “Todos os estudos mostram que se você investir em educação você vai ter uma criança com melhor desenvolvimento e isso vai trazer uma repercussão gigantesca para o país. As estimativas são de que se você investe R$1 real em educação, o retorno supera R$ 10”, frisa o economista.

    Paes de Barros mostrou levantamento que mostra a evolução de estudantes que têm acesso a um programa de educação socioemocional. “O impacto é muito positivo em termos de comportamento social, regulação de estresse, conduta e habilidades socioemocionais”, descreveu. Em Santa Catarina, 30 escolas da rede pública estadual integram proposta de educação integral para o ensino médio que teve início em 2017 e conta com parceria do Instituto Ayrton Senna e apoio do Instituto Natura. “A avaliação do primeiro ano do programa mostra que os alunos estão mais responsáveis, curiosos, autoconfiantes, criativos e colaborativos”, comentou o economista.

    Programas de educação socioemocional também são mais relevantes para estudantes de origem pobre, que têm menos oportunidades. “Isso reduz a desigualdade e dá condições para competir numa sociedade injusta, pois traz mais resiliência para o jovem”, explicou Paes de Barros. “Entender o que é preciso desenvolver nos estudantes é a intersecção de três coisas: o que é um bom ser humano, de que forma a escola pode contribuir para formar esse cidadão e o que o mundo espera dessa formação”, acrescentou.

    Marina de Cuffa, especialista em design educacional do Instituto Ayrton Senna, lembrou que a educação socioemocional é intrínseca à formação e isso vem se potencializando nos últimos anos. “As competências têm um padrão e se desenvolvem de acordo com a experiência de cada um. O professor é o agente transformador que faz com que o aluno consiga se observar e se autoconhecer”, disse.

    Por Fiesc

    Contabilidade na TV
    Informações pertinentes ao dia-a-dia dos profissionais contábeis. Notícias contábeis diárias, vídeos de eventos contábeis e conteúdos específicos para o contador!

    Comentários

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Posts Relacionados

    Populares

    spot_imgspot_img
    ×

    CADASTRE-SE NA NEWS

    Assine a nossa lista e receba novidades sobre o Contabilidade na TV.

    OBRIGADO

    POR SE INSCREVER!