Auxílio Emergencial contribui para o aumento da intenção de consumo das famílias

0
31

Índice medido pela Confederação Nacional do Comércio cresce em novembro e atinge maior patamar desde maio

O índice que mede a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) subiu 0,8% em novembro e atingiu o maior patamar desde maio, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Foi o terceiro aumento em sequência. Um dos responsáveis pelo crescimento da confiança da população na economia foi o Auxílio Emergencial.

“O Auxílio Emergencial foi fundamental para criarmos essa rede de proteção social que permitiu atender a 67,8 milhões de pessoas entre as mais vulneráveis do país no período de pico da doença. Agora, vemos a importância da decisão de estender o benefício para a retomada da economia, mantendo uma renda que movimenta o comércio”, destaca o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni

“O Auxílio Emergencial foi fundamental para criarmos essa rede de proteção social que permitiu atender a 67,8 milhões de pessoas entre as mais vulneráveis do país no período de pico da doença. Agora, vemos a importância da decisão de estender o benefício para a retomada da economia, mantendo uma renda que movimenta o comércio”, destaca o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

A elevação do ICF este mês representa um crescimento de 69,8 pontos, resultado que para o presidente do CNC, José Roberto Tadros, reforça a confiança dos brasileiros na recuperação econômica. “A melhora das percepções em relação ao mercado de trabalho e a continuidade do Auxílio Emergencial, mesmo em valor menor, foram o suficiente para levar segurança para os consumidores, principalmente no longo prazo”, ressalta.

O levantamento do CNC indica ainda que o item relacionado à renda subiu 0,2% após sete quedas consecutivas. “Os dados mais positivos da economia estão incentivando as famílias a ficarem mais confiantes em relação ao seu poder de compra futuro, o que explica este avanço no indicador da renda atual”, aponta Catarina Carneiro da Silva, economista da Confederação e responsável pelo estudo.

Com uma injeção de mais de R$ 260 bilhões na economia desde abril, o Auxílio Emergencial, além de evitar que a pobreza atingisse quase 30 milhões de pessoas durante a crise, elevou a renda dessa população. Apenas pelo programa Bolsa Família, 15,9 milhões de beneficiários receberam a terceira parcela da extensão do Auxílio Emergencial em novembro, com valor mais vantajoso do que aquele que receberiam habitualmente.

Outros índices

O subíndice que mede a satisfação dos brasileiros com relação ao emprego registrou o terceiro aumento seguido (+ 0,6%) e permaneceu como o item de pontuação mais elevada (86,8 pontos). O item que teve o maior crescimento em novembro (+ 3,3%) – a quarta alta consecutiva –, foi o da perspectiva profissional para os próximos seis meses. Enquanto isso, a perspectiva de consumo subiu 1,4%, após ter acumulado duas quedas seguidas.

Com informações do Ministério da Cidadania

Por Gov.br

 

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!
Baixe para iOS.
Baixe para Android.
Baixe em HTML5.

Anúncio

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, escreva seu comentário.
Seu nome