União dos Contabilistas e Auditores de Língua Portuguesa (Ucalp) é tema de artigo publicado pela Ifac

0
49

Em um artigo publicado, esta semana, no site da Federação Internacional dos Contadores (Ifac, na sigla em inglês), são detalhados os objetivos e as propostas da recém-criada União dos Contabilistas e Auditores de Língua Portuguesa (Ucalp). Quem assina o artigo é Paula Franco, presidente da nova entidade, que representa mais de 700 mil contadores, por meio da aliança de dez organizações profissionais da área, incluindo membros do Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Macau, Moçambique, Portugal e São Tomás e Príncipe. O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e o Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon) são membros da Ucalp.

A criação da entidade ocorreu em setembro de 2019, durante o VI Congresso da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC) em Lisboa, Portugal. Também presidente da OCC, Paula Franco afirma, no artigo, que a União dos Contabilistas e Auditores de Língua Portuguesa servirá como uma ponte entre os contadores profissionais e as economias de seus países, que estão localizados em quatro continentes.

De acordo com a sua presidente, a Ucalp foi lançada para atuar como plataforma para aprimorar tanto a comunicação entre os contadores como a colaboração mútua entre seus membros.

Para Paula Franco, essa aproximação é especialmente importante atualmente, uma vez que pesquisas preveem que 800 milhões de empregos, em todo o mundo, sejam substituídos por avanços de automação e software, estando a profissão de contador entre os setores com maior probabilidade de serem afetados por essa mudança. A presidente da Ucalp e da OCC argumenta que havia uma necessidade urgente de preparar e antecipar os futuros desafios, estabelecer uma estratégia para superá-los e, paralelamente à preparação pessoal e profissional, executar uma estratégia unificada de reinvenção e inovação profissional.

Além desse aspecto, a contadora portuguesa defende que a Ucalp é uma organização unida não apenas por um idioma comum, mas também pela cultura, raízes, experiência, antepassados, desafios históricos, ações, objetivos e sonhos. A presidente afirma que a entidade vai conectar as organizações profissionais de contabilidade dos países membros e pretende fornecer capacitação aos profissionais, promovendo o desenvolvimento técnico e apoiando o crescimento e a evolução de suas economias.

Na opinião de Paula Franco, o desenvolvimento profissional organizado pela Ucalp vai oferecer oportunidades para romper fronteiras e obstáculos, sejam geográficos, financeiros e sociais, a fim de propiciar aos contadores de língua portuguesa as ferramentas necessárias para prestar serviços de alta qualidade.

Considerando que os países membros da Ucalp compartilham fortes relações econômicas, incluindo investimentos, comércio e migração, segundo a presidente da entidade, é essencial haver profissionais multilaterais competentes, que possam apoiar seus clientes em todas as jurisdições que compõem a União dos Contabilistas e Auditores de Língua Portuguesa.

A entidade, continua Paula Franco, servirá como um centro de informações, fornecendo uma plataforma com os mais recentes desenvolvimentos legislativos em matéria tributária e contábil dos Estados membros, ajudando os contadores profissionais e outras partes interessadas a ficar a par das estruturas legais que são parte de seus processos de tomada de decisão. Ela defende que esse conhecimento deve, em última análise, permitir que os contadores profissionais se tornem melhores consultores e agentes de investimento, reforçando assim seu valor agregado.

Além disso, a presidente informa que a Ucalp promoverá fortes princípios éticos, a fim de garantir a qualidade e a reputação da profissão; vai defender os interesses e direitos dos profissionais e comunicar e conscientizar sobre a importância da profissão contábil e das organizações profissionais da área.

O artigo diz ainda que a Ucalp também assumirá um papel de defesa, promovendo a adoção de padrões internacionais e a harmonização da legislação nacional, com o propósito de fornecer uma base sólida para sustentar o investimento estrangeiro.

Paula Franco acrescenta que a União reconhece sua posição de promover a cooperação em vários níveis (por exemplo, educacional, ambiental e cívico) e campos (como saúde, tecnologia, agricultura, administração pública e cultura) para fortalecer o bem-estar geral de seus membros.

Com as mudanças significativas à frente e a necessidade de a profissão contábil trabalhar globalmente, a presidente revela que a Ucalp está ansiosa para aproveitar essas experiências e recursos compartilhados como a maneira mais eficaz de alcançar um futuro melhor.

Para ler o artigo no site da Ifac, clique AQUI.

Por Maristela Girotto – Com informações da Ifac / Portal CFC

 

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!
Baixe para iOS.
Baixe para Android.
Baixe em HTML5.

Anúncio

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, escreva seu comentário.
Seu nome