Diretoria da CNC avalia cenário de transformações no varejo

0
31

O impacto das inovações tecnológicas e conceituais apresentadas durante a NRF Retail’s Big Show 2020, a maior feira do varejo do mundo, em Nova York, foi um dos temas abordados na reunião mensal de Diretoria da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), realizada em 23 de janeiro.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, destacou o cenário de transformações por que estão passando as empresas do varejo em todo o mundo e a importância de eventos como a Big Show. “Estamos avaliando a possibilidade de realização de um evento dessa natureza aqui no Brasil, para levar as informações e as inovações ao nosso público dos empresários do comércio”, disse Tadros.

O presidente da Fecomércio do Pará, Sebastião Campos, afirmou que ficou surpreso com o nível de participação das pequenas empresas no evento de Nova York. “Pensei que só veria apresentações de grandes corporações”, contou Campos. “Mas uma boa parte das palestras foi feita pelas pequenas empresas, que compartilharam suas experiências de uma forma que será muito útil para nós aqui no Brasil. Foi muito importante ver como está funcionando este mercado globalizado em que estamos atuando”, completou Sebastião Campos, que foi à NRF Big Show pela primeira vez.

Omnichannel

Carlos Andrade, da Fecomércio da Bahia, destacou alguns pontos que servem de orientação para os empresários do varejo brasileiro. “Temos que ter foco cada vez maior nas nossas equipes de vendedores, pois ele é o elo fundamental na conexão com os clientes”, disse Andrade. “Outra questão é a importância da coleta de dados feita com precisão e cuidado, já que é a partir dessa base que poderemos obter informações concretas para direcionar nossas ações aos clientes”.

O presidente da Fecomércio-BA também destacou a integração entre os canais físicos e digitais do varejo, o chamado omnichannel. “Sem dúvida, vai sobreviver nos negócios quem souber trabalhar essa integração”, avaliou Andrade.

Mudanças na empregabilidade

O consultor e professor José Pastore, especialista nas relações do trabalho, disse que o cenário de inovações e mudanças tecnológicas está tendo um profundo impacto no mercado de trabalho e na empregabilidade das pessoas. “As novas tecnologias podem destruir empregos, mas elas também criam. Elas transformam os empregos. Depende de cada sociedade ter um equipamento educacional para preparar as pessoas para acompanhar isso”, disse Pastore, que destacou as oportunidades para as instituições focadas na educação profissional. “A educação convencional é lenta. Já em instituições como o Senac é possível organizar um curso em seis meses, dá para acompanhar as demandas do mercado. É um alento que surge, pois as tecnologias estão transformando os empregos e é preciso treinar e qualificar as pessoas para acompanharem esse processo”, afirmou Pastore.

Por CNC

 

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!
Baixe para iOS.
Baixe para Android.
Baixe em HTML5.

Anúncio

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, escreva seu comentário.
Seu nome