BC calculava o valor diário da URV e organizou sistema bancário para a chegada do real

0
527

A implementação de um novo padrão monetário exige planejamento estratégico em várias frentes. Além de garantir a produção e a distribuição das novas cédulas e moedas, o Banco Central (BC) foi responsável pela manutenção de atividades essenciais para o bom funcionamento do Sistema Financeiro Nacional (SFN) nos meses que antecederam a entrada em circulação do real. No período em que a Unidade Real de Valor (URV) esteve em vigor, entre 1º de março e 1º de julho de 1994, o BC divulgou diariamente o valor da paridade entre o cruzeiro real e a URV. O cálculo era feito pelo Departamento Econômico do BC (Depec) com base nas variações do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E) e do Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe).

Atual chefe do departamento, Tulio Maciel integrava a equipe que se debruçava todos os dias sobre uma série de indicadores. O trabalho era feito pela Consultoria de Análise de Conjuntura Econômica (Coace), unidade que ainda existe. Ele lembra que o BC já possuía computadores, mas o acesso às máquinas era limitado: “Nós tínhamos dois ou três computadores por divisão. Quem precisasse fazer algum trabalho pegava um disquete, ia até a máquina, executava a tarefa e saía, para liberar o computador. Era um trabalho bem dinâmico, a inflação estava em aceleração.” Após os cálculos com os índices de preços mais recentes, a Coace se reunia com o diretor de setor externo, Gustavo Franco, e com a mesa de câmbio do Departamento das Reservas Internacionais do BC (Depin) para bater o martelo sobre o valor da URV que seria divulgado no dia seguinte.

Nem a Copa do Mundo de 1994, na qual a seleção brasileira conquistou o tetracampeonato, afetou a rotina de atividades no BC. O torneio foi realizado entre 17 de junho e 17 de julho, na transição do cruzeiro real para o real. “Passei boa parte da Copa no Banco. Nos jogos do Brasil, algumas equipes eram liberadas, mas havia plantão. Participei de uma reunião com colegas do Ministério da Fazenda e com Gustavo Franco pouco antes de um jogo da seleção, e o diretor fez demandas que deveriam ser atendidas antes do intervalo da partida. Era sobre as regras para reajuste dos valores de aluguéis, medida importante para a desindexação da economia. A inflação era tão alta que as pessoas tinham perdido a noção de referência de valor de uma coisa em relação a outra. A função de unidade de conta da moeda estava muito deteriorada”, afirma Tulio.

Operações bancárias
Gerenciar o sistema bancário do país em meio ao caos inflacionário não era tarefa fácil. Servidor aposentado, José Antonio Marciano era chefe adjunto no Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos do BC (Deban), em 1994. Ele afirma que as principais atividades do departamento na época eram referentes aos recolhimentos compulsórios, à assistência financeira e à regulamentação da compensação de cheques. “Participamos dos estudos e trabalhos durante todo o processo de identificação e de análise dos impactos do Plano Real e das medidas necessárias para que o SFN se mantivesse operando regularmente e com segurança durante a transição. Estabelecemos as regras para o compulsório, principalmente sobre a forma como os bancos deveriam prestar as informações e como se processaria a conversão das posições nas reservas bancárias.”

25 anos atrás, as transferências eletrônicas de recursos não existiam. O cheque era um meio de pagamento amplamente utilizado no país e o DOC era a única opção disponível para repasse de recursos. “O sistema de compensação de cheques, Compe, tinha importância crucial. O Deban regulamentava e acompanhava a atividade que era processada pelo Banco do Brasil, apenas a liquidação financeira era efetuada nas reservas bancárias”, lembra Marciano. Ele afirma que a compensação de cheques pré-datados demandou atenção especial durante a transição: as primeiras normas estabeleciam que a compensação dos cheques grafados em cruzeiros reais observaria os prazos de 30 e 60 dias da emissão, se apresentados na mesma praça de emissão ou em praça diferente, respectivamente.

“Foram tantas as manifestações alertando para os transtornos que geraria ao comércio em geral e aos próprios emitentes de tais cheques, que a circular sobre o tema foi alterada para que se observasse somente o prazo de apresentação à compensação, independentemente da data de emissão. Alteramos a regulamentação da Compe, o que minimizou o problema. Atualmente, é bem provável que muitas pessoas nem saibam o que significava a famosa anotação ‘bom para o dia…’, mas esse hábito estava enraizado na população brasileira”, pontua Marciano.

Saneamento do SFN
Em parceria com a área de Supervisão, o Deban também mapeou as instituições financeiras com maior probabilidade de apresentar problemas de liquidez após a implementação da nova moeda. Até 1994, a economia brasileira era marcada por crônico e acentuado processo inflacionário, coexistente com generalizada indexação. Esse quadro foi extremamente favorável para o segmento bancário, que se adaptou bem ao ambiente de alta inflação presente na economia brasileira desde a década de 1960.

Com a chegada do real, o cenário mudou radicalmente: a redução dos níveis inflacionários e a maior abertura da economia revelou o grau de ineficiência de alguns setores – o que afetou a capacidade de honrar os empréstimos concedidos pelos bancos. O corte de alguns repasses do governo atuou no mesmo sentido, aumentando o grau de inadimplência no sistema bancário. Além disso, a política monetária restritiva, praticada a partir da implementação do Plano Real, contribuiu para as dificuldades creditícias enfrentadas por alguns setores da economia. “No trabalho de mapeamento que fizemos, encontravam-se as primeiras preocupações em montar um programa para tratar dessas instituições com potencial de ter problemas em razão da queda da inflação”, diz Marciano. ​

Por Banco Central do Brasil

 

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!
Baixe para iOS.
Baixe para Android.
Baixe em HTML5.

Anúncio

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, escreva seu comentário.
Seu nome