Socorro: chama o contador!

0
2080

De segunda a sábado o empreendedor está lá, à frente de sua empresa, fazendo seu sonho virar realidade com muito trabalho e dedicação. No domingo à tarde, um pouco mais descansado ele quer se preparar para semana. Precisa avaliar a gestão da sua empresa, ver os gráficos e indicadores gerenciais, mensurar resultados, calcular a prévia de rescisão de um funcionário, fazer o recalculo e pagar algumas guias de impostos em atraso e ainda enviar Notas Fiscais para a contabilidade. Como pretende pedir um empréstimo também precisa das suas Certidões Negativas de Débito.

Se o empresário precisa pedir socorro ao contador para obter estas informações isso é um mau sinal, afinal entramos na era pós-digital e, assim como os bancos, as empresas contábeis já tem, há muito tempo, ferramentas tecnológicas para disponibilizar diversas informações financeiras e de gestão para os seus clientes durante 24 horas e de forma totalmente automatizada. “Isso é autoatendimento contábil”, explica Elinton Marçal – diretor de tecnologia e marketing da SCI Sistemas Contábeis.

E o que os empresários preferem? Ligar para contabilidade e aguardar o envio de suas solicitações via e-mail, esperar pela entrega de documentos com motoboys, buscar manualmente as notas fiscais enviadas e recebidas para mandar para contabilidade? Ou será que gostam mais de ter acesso a tudo isso via tecnologia, em qualquer dia e horário? Qual empresa contábil o empreendedor escolheria?

A Internet possibilitou a criação de diversas ferramentas WEB que transformaram de forma definitiva a relação entre contadores e clientes. Com pioneirismo, desde 2005, a SCI vem disponibilizando tecnologias WEB para empresas contábeis terem uma comunicação plena com seus clientes, além disso investe fortemente na integração de seus softwares com centenas de sistemas de gestão, o objetivo é fazer com que o sistema utilizado pelo empreendedor envie as informações diretamente para a contabilidade. Para Marçal este é um caminho sem volta: “As empresas de contabilidade devem investir em autoatendimento independente da precificação ou de qualquer coisa. A automação está na mão, é acessível para empresas contábeis de qualquer porte e elas precisam disso para continuar sendo competitivas no mercado. Não se trata de uma opção, pois quem não fizer isso vai ver ter dificuldades em se manter”.

O sócio-proprietário da Triângulo Contabilidade, Cristiano de Carvalho segue a mesma linha de raciocínio e admite que as tecnologias WEB foram fundamentais para que a empresa tocantinense migrasse para os sistemas da SCI. “Conhecemos o sistema em uma Convenção realizada em Recife, em 2016”, explica. “Ao vermos a possibilidade de integração do sistema com a WEB, não pensamos duas vezes e migramos. Desde então observamos muitos ganhos”.

Entre os benefícios citados por Carvalho, destaque para a agilidade nos processos e a garantia de mais segurança no dia a dia do escritório.

“Não consigo imaginar nossa rotina sem as tecnologias de autoatendimento da SCI”, argumenta. “Nossos clientes estão acostumados, bem como os nossos colaboradores. Se saíssemos hoje desta realidade, estaríamos dando um passo para o passado”.

A mesma opinião é compartilhada por Ewerton Ventura, sócio do Grupo Fatos, que gerencia uma empresa contábil em São José dos Campos (SP).

“Depois que começamos a trabalhar com as tecnologias WEB constatamos muito mais segurança em nossos processos”, garante. “Posso dizer que eliminamos muitos erros, muitos mesmos. E ganhamos muita velocidade: tudo é instantâneo. Os clientes tem notado a diferença, e o feedback é muito positivo”.

Responsável pela área de TI do Grupo, Ventura explica que as tecnologias WEB da SCI eliminaram procedimentos arriscados outrora utilizados pela empresa.

“No passado, nós mesmos desenvolvíamos [internamente] planilhas para os clientes preencherem as informações e nos enviarem. Com a planilha em mãos, nós lançávamos tudo no sistema”, explica. “O problema é que o processo era totalmente offline, e caso o cliente não tivesse um programa compatível em seu computador, a planilha chegava totalmente em branco. Era tempo perdido, e tempo é importante para todos”.

“Agora, com as tecnologias SCI, o cliente preenche as informações que são automaticamente salvas no sistema”, prossegue. “Isso gera segurança para todos: para nosso escritório e para a empresa de nossos clientes. Sabemos que tudo está certo, pois o próprio cliente quem digitou”.

Segundo ambos os empresários, a tecnologia se mostrou a única saída para sobreviver à rotina do ramo contábil – cada vez mais desgastada pela ampla quantidade de obrigatoriedades, fiscalizações e pressão.

“Contamos atualmente com cerca de 280 clientes (CNPJs) em nossa carteira”, comenta Ventura. “Sem essas ferramentas seria impossível dar conta de tudo, não teríamos condições de trabalhar com a quantidade de colaboradores internos que temos. Ou seja, precisaríamos de mais pessoal, o que implicaria em mais gastos e menos rentabilidade para o nosso escritório”.

Para Carvalho, a eliminação de custos tem sido cada vez mais essencial. “O país está em crise, e toda economia nos negócios é bem-vinda”, crê. “Com essas ferramentas, existe economia para o escritório e para os nossos clientes, que deixam de gastar com impressão de holerites, com funcionários e tudo o mais. É essencial para todos”.

Adeus aos contadores?
O mundo assiste jovens dando início a empresas cada vez mais tecnológicas, colaborativas e ao mesmo tempo humanizadas. Por outro lado quem já estava estabelecido se vê obrigado a sair da zona de conforto para se manter competitivo. O fato é que empreender é desafiador e traz medo, afinal a conta sempre chega e é necessário ter segurança, aí entram as oportunidades para os profissionais contábeis.

“A tecnologia deve ser aliada do contador, diminuindo custos, integrando informações, extinguindo processos e ampliando a comunicação. O contador é o cara que vai dar segurança pessoal ao empreendedor, sendo seu consultor financeiro e de gestão. Um sempre vai precisar do outro”, defende Marçal.

A tendência de mercado aponta que a preocupação em ser substituído por robôs deve ser somente para as empresas contábeis que não oferecem nada a mais além das conformidades legais, estas talvez possam se manter no mercado como um despachante contábil online, mas de qualquer forma ainda precisarão investir muito em tecnologia e deverão repensar a precificação, pois este será seu único diferencial dos demais que oferecem o mesmo tipo de serviço.

Agora falando no contador consultor, que trabalhou em sua própria transformação, este será cada vez mais essencial. Será o protagonista de mudanças ao exercer a verdadeira natureza de sua formação profissional: cuidar da saúde financeira das empresas e fazê-las prosperar. De forma resumida, deixará de preencher números e guias para analisá-las e criar soluções inovadoras.

Contabilidade com Autoatendimento
A mudança cultural é o desafio que as empresas contábeis estão enfrentando neste momento. Os gestores contábeis contam com resistência de suas equipes na utilização de novas tecnologias, resistência dos clientes para utilizarem o autoatendimento e a própria resistência em mudar seu jeito de atuar. Toda esta adaptação é difícil, porém é vital.

Mas como transformar essa cultura? Segundo Elinton Marçal, é necessário que os contadores realizem um trabalho de conscientização com suas equipes e com seus clientes, mostrando os prós do serviço.

“A empresa contábil precisa mostrar que a mudança vale a pena, precisa expor a verdade para suas equipes e trabalhar duro nas visitas aos clientes, tem que se aproximar”, sugere. “É preciso mostrar como isso vai agregar na vida do empresário, na rotina da empresa, que ganhos ela terá”.

“Sempre uso o exemplo de que o empresário não tem hora para trabalhar: às vezes, às dez da noite, surge uma dúvida sobre números da empresa de meses atrás”, prossegue. “Com as tecnologias certas ele não precisará contatar seu contador: ele vai poder acessar as informações online, em seu próprio celular. Ou seja, pode trabalhar em qualquer lugar e a qualquer momento, sem depender de terceiros”.

Segundo ele, muitos empresários contábeis apostam no negativismo ao optarem por não utilizar o autoatendimento.

“Escuto muito contador dizendo que não tem tempo ou condições de implementar essas ferramentas em sua rotina”, destaca. “Outros dizem que os clientes não vão concordar. Mas na verdade o cliente quer ter acesso às suas próprias informações por conta própria. É o que vemos nos bancos: processos automatizados, sem depender de terceiros para realizar alguns procedimentos. Um dia foi difícil para os usuários, mas eles foram educados e hoje fazem tudo por conta própria. E os bancos?
Eles seguem existindo”.

Sobre a SCI: Com 28 anos de trajetória (desde 1991) e 100% brasileira, a SCI Sistemas Contábeis é referência na elaboração de softwares voltados ao segmento contábil. Pioneira, a SCI, desenvolveu o primeiro sistema contábil em Windows do Brasil (1996) e também foi a primeira a lançar ferramentas WEB (2005) que integram contadores e clientes de forma on-line, levando a Era do Autoatendimento Contábil ao alcance de todos via robotização e inteligência artificial. Em 2012 a SCI lançou o Ambiente Contábil ÚNICO, plataforma de trabalho premium para empresas contábeis focadas em gestão. Em 2013 lançou a primeira solução mobile para empresas contábeis do mercado. Em 2018 se tornou sócia da joint venture que deu origem ao OneFlow, primeiro sistema contábil 100% web e autônomo do Brasil. www.sci.com.br.

Por Assessoria de Imprensa da SCI Sistemas Contábeis

 

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!
Baixe para iOS.
Baixe para Android.
Baixe em HTML5.

Anúncio

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, escreva seu comentário.
Seu nome