Estatística de crédito ampliado ao setor não financeiro da economia brasileira será divulgada mensalmente

0
458

​Com o objetivo de fornecer uma visão abrangente do conjunto das fontes de recursos utilizadas para o financiamento dos setores público e privado não financeiros da economia brasileira, a estatística de crédito ampliado ao setor não financeiro passa a ser divulgada mensalmente, a partir de 29 maio, na Nota para a Imprensa – Estatísticas Monetárias e de Crédito e no Sistema Gerenciador de Séries Temporais (SGS). A nova estatística e a sua metodologia estão descritas em um dos boxes que integram o Relatório de Economia Bancária (REB) de 2018, cuja publicação será feita na próxima terça-feira (28).

A série, que tem início em janeiro de 2013, compreende tanto as operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) – empréstimos e financiamentos concedidos por bancos e outras instituições financeiras –, quanto as operações de crédito dos demais setores institucionais residentes, os títulos de dívida públicos e privados e os créditos concedidos por não residentes (dívida externa).

A estatística de crédito ampliado ao setor não financeiro permite aferir a dimensão e a participação relativa de seus principais componentes, bem como padrões de complementaridade e de substituição entre eles. Contribui ainda para análises comparativas do nível e do perfil de endividamento do governo, das empresas e das famílias.

As séries estatísticas foram construídas em conformidade com o padrão metodológico internacional e são complementares às demais estatísticas sobre o mercado de crédito no Brasil. São também consistentes com os outros conjuntos de estatísticas macroeconômicas (fiscais, do setor externo e de contas financeiras) e, nesse sentido, contribuem para a consolidação do arcabouço estatístico brasileiro.

Resultados
De acordo com o boxe do REB, o crédito ampliado ao setor não financeiro totalizou R$9,4 trilhões em dezembro de 2018, correspondendo a 138% do Produto Interno Bruto (PIB). Desse total, 56% são destinados a empresas (privadas e públicas) e a famílias e 44% ao governo geral (administração pública federal, estadual e municipal).

No que diz respeito à participação no crédito ampliado, o maior componente foi o de títulos públicos, respondendo por 35% do total em dezembro de 2018, seguido pelas operações de crédito do SFN (34%). A dívida externa representou 22% do crédito total, enquanto o mercado de capitais e os outros empréstimos corresponderam a 6% e 2%, respectivamente.

Para mais informações, acesse o boxe completo aqui.

Por Banco Central do Brasil

 

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!
Baixe para iOS.
Baixe para Android.
Baixe em HTML5.

Anúncio

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, escreva seu comentário.
Seu nome